Git + VS Banner

Git + Visual Studio (quase) sem gambiarras

Lista de arquivos, com o indicador visual do status à esquerda do símbolo do arquivo

Status dos arquivos.

No final de janeiro a Microsoft anunciou o lançamento de um novo plug-in para o Visual Studio, que possibilitará o uso de Git através de uma ferramenta oficial.

Apesar de ser comumente vista como a principal opositora do movimento do Software Livre, a gigante de Redmond têm realizado diversas contribuições como esta para o ecossistema livre nos últimos tempos, sendo isso reforçado pela abertura de uma unidade subsidiária exclusivamente para este fim, a Microsoft Open Technologies.

O simples fato do plug-in pode ser visto como algo além de uma mera boa notícia para os usuários de Git e interessados em tecnologias livres, pois indica que a empresa segue reavaliando os produtos oferecidos a ponto de perceber que nem sempre uma solução é a melhor para todos seus usuários, como o Team Foundation Server não o era.

Tela do commit no plugin do Git

Tela do commit, limpa e funcional

Apesar de ser uma solução robusta o Team Foundation Server carrega consigo uma grande bagagem, advinda ainda do Visual Source Safe, e a correta utilização da ferramenta nem sempre é de agrado dos times ou conveniente para suas necessidades específicas.

Como ninguém é obrigado a conhecer qualquer um dos dois sistemas de controle de versão, vamos a um breve resumo deles:

GIT

+ distribuído, commits são feitos numa cópia local do repositório

+ excelente para trabalho com conexões instáveis ou pouco confiáveis

+ free, open source, clientes disponíveis para os principais sistemas

+ gerência e correção de conflitos muito eficiente

- mesmo com o novo plugin, a integração com o Visual Studio deixa a desejar

 

TFS

+ um dos servidores mais fáceis de instalar e configurar para quem é habituado a tecnologias Microsoft

+ excelente para times com conexão permanente ao servidor

+ integração total com Visual Studio

- praticamente inexistem servidores TFS “livres” online, basicamente limitado ao tfs.visualstudio.com

 

Como instalar o plug-in no VS2012

Partindo do princípio de que o Visual Studio 2012 já esteja instalado, será necessário instalar o Update 2 (na versão Community Technical Preview 3 ou 4 no momento em que este post é escrito) e posteriormente instalar a própria extensão. Ambas as instalações são bem diretas e fáceis, nada fora do feijão-com-arroz, apesar do Update 2 ser um tanto demorado para instalar.

Lista dos commits aguardando push

Commits realizados no repositório local, esperando o push. Uma rapadura para quem descobrir o e-mail.

 

Usando o plug-in

O uso do plug-in não difere em praticamente nada de qualquer ferramenta visual para Git.

Integrado ao Solution Explorer e ao Team Explorer, o plug-in oferece identificações visuais indicando o status dos arquivos, opções diretas de commit, push e pull.

Uma interessante adição ao plugin é integração com o serviço Gravatar, que faz com que apareça o avatar configurado junto às ações. Nada muito rebuscado, mas pessoalmente achei bastate divertido.

Como nada pode ser perfeito, a integração só é completa (ao menos nessa versão inicial do plug-in) com os repositórios Git hospedados no tfs.visualstudio.com, para os repositórios de terceiros, recomendo o uso do GitHub for Windows para a realização da clonagem inicial do repositório online para o local, e depois basta criar a solução na pasta do repositório ou abrir a solução (caso já exista) e usar normalmente as funcionalidades do plug-in.

O uso do Git, em si, não será abordado hoje, caso haja interesse posso trazer um tutorial básico, mas para quem nunca teve contato e quer aprender, um excelente curso é oferecido pela Code School, o Try Git. O único conselho é que tenham cuidado, pois os cursos da Code School contém achievements, um trabalho cuidadoso de gamification na elaboração dos cursos e exercícios, que se paga facilmente, pois depois do primeiro curso fica difícil parar.

Para maiores informações, sugiro o post oficial do lançamento do plugin.

Sobre André Leitzke

Trabalhei de 2008 a 2013 como desenvolvedor e migrei para a consultoria no início de 2014, mas sigo programando no meu tempo livre, quando os jogos permitem. Me segue no twitter: @wmute ;)